codinome cazuza







"O meu pessoal, em matéria de sexo, era um exagero total. Uma coisa libertária mesmo. A gente queria ser igual a Janis Joplin. A filosofia era ‘Viver dez anos a mil é melhor do que viver mil anos a dez’. Agora com essa historia da AIDS, eu me sinto meio traído por Deus. Eu sempre fui adepto do sexo livre e estou tendo que reformular toda a minha vida. Estou até fazendo análise por causa disso." (Cazuza, 1988)

"O meu pessoal, em matéria de sexo, era um exagero total. Uma coisa libertária mesmo. A gente queria ser igual a Janis Joplin. A filosofia era ‘Viver dez anos a mil é melhor do que viver mil anos a dez’. Agora com essa historia da AIDS, eu me sinto meio traído por Deus. Eu sempre fui adepto do sexo livre e estou tendo que reformular toda a minha vida. Estou até fazendo análise por causa disso." (Cazuza, 1988)







"A maioria das músicas dos primeiros disco do Barão, são letras que escrevi entre os dezessete e os vinte e dois anos." (Cazuza, 1987)

"A maioria das músicas dos primeiros disco do Barão, são letras que escrevi entre os dezessete e os vinte e dois anos." (Cazuza, 1987)

lesbicando-me said: To apaixonada 😍

Brigadaaa <3







“Fui numa festa da turma do Cazuza. Eles eram de uma promiscuidade inacreditável. Tipo ‘todo mundo bêbado, ninguém é de ninguém’. Todo mundo parecia homossexual, homem com homem, mulher com mulher(&#8230;) Foi um baque pra mim porque o sexo sempre tinha sido uma coisa mais tenra, mais dedicada, mais romântica. E, nessa festa, eu tinha visto o sexo pela primeira vez como putaria.” (Dinho Ouro Preto, 1993, Revista Sexy)

“Fui numa festa da turma do Cazuza. Eles eram de uma promiscuidade inacreditável. Tipo ‘todo mundo bêbado, ninguém é de ninguém’. Todo mundo parecia homossexual, homem com homem, mulher com mulher(…) Foi um baque pra mim porque o sexo sempre tinha sido uma coisa mais tenra, mais dedicada, mais romântica. E, nessa festa, eu tinha visto o sexo pela primeira vez como putaria.” (Dinho Ouro Preto, 1993, Revista Sexy)